Angélico

junho 30, 2011 | |

Nunca comprei um Cd, nem dele nem dos Dzrt. Não faz o meu genero de musica mas não mudava de emissora quando o ouvia na rádio e até cantarolava as musicas no carro. Acho que toda a gente, quer goste ou não, já cantou uma musica dele (ou deles) nem que seja em karaoke.
Como já tinha dito uma vez, estas coisas mexem muito comigo. Já quando a minha mãe veio ao quarto dizer-me que o Antonio Feio tinha morrido desatei a chorar como fosse alguem que conhecesse (Sou patareca é o que é). Por isso foi com muita atenção que observei estes ultimos acontecimentos. Primeiro, não fui muito com a história de que ele não levava cinto e, ainda o rapaz estava na cama do hospital entre a vida e a morte, já o criticavam ferozmente pela "irresponsabilidade" de não levar o cinto.
Acho que os policiais deviam ter tido mais cuidado com a informação que divulgaram e foi muito triste ouvir coisas do genero "Ah e tal só teve o que mereceu!" e bla bla wiskas saquetas.
E os bombeiros que cortaram o cinto deviam ter sido os primeiros a dizer que o rapaz conduzia com ele. Quanto ao assunto do seguro, duvido muito que se algum amigo vos emprestasse um carro por uma noite iam andar a ver se o carro tem seguro e tal e coiso. Agora claro que toda a gente diz que sim, mas na altura... puff, não me parece.
Segundo, Tenho mesmo muita pena dele, que ainda tinha tanto para viver; da familia e da Rita, que para todos os efeitos foi a unica namorada que ele assumiu e com quem viveu. Porque ninguém merece.

10 comentários:

  1. Faço tuas as minhas palavras, nesta ocasião mais que nunca!
    Beijinhos,
    Bomboca do Amor.

    ResponderEliminar
  2. Nem imaginas o que gostei de ler o teu post.Eu n costumo fazer posts sobre estas acontecimentos mas, desta vez, fiz!Chocou-me o dedo das pessoas apontadas a ele, a perguntar o que esperava...por favor, foi um pneu que rebentou!!
    Estás convidada a ir ler o que escrevi porque realmente isto revoltou-me!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Pode parecer uma estupidez, mas por acaso também pensei logo na Rita Pereira... infelizmente também sei o que é perder alguém que amamos e sei que essa dor nunca vai passar... apenas aprendemos a conviver com ela.
    Mesmo já não sendo namorados, foram importantes na vida um do outro e é inevitável o sofrimento dela. E da família, obviamente.

    ResponderEliminar
  4. Acredita, foi uma verdadeira tragédia o que lhe aconteceu, é mesmo um triste final para ele e não percebo as pessoas que gozam com isso e criticam, seja qual for a razão do acidente ele não fez mal a ninguém (pelo menos propositadamente) e não merecia uma coisa dessas, é mesmo ser cruel :x

    ResponderEliminar
  5. Oláá :D
    Venho divulgar o meu novo blogue, onde vendo roupa que já não uso e/ou que nunca usei. Espreita. Se vires algo que te agrade não te acanhes. É só mandar email e combinar a venda!
    Visita
    http://getoutofmywardrobe.blogspot.com/

    beijinho*

    ResponderEliminar
  6. Há muita coisa que foi mal dita... Essa do seguro por exemplo... Todos stands têm de ter um seguro enquanto os carros lá estão. Mas este só abrange quando os carros são conduzidos pelos donos ou funcionários do stand, o que o Angélico não era. Ou seja, ter até tinha, mas não era o suficiente para o Angélico poder andar com ele...
    Mas tudo isto se tornou numa fantochada. Os rumores, as suposições... Bolas, a morte de alguém não deve ser vivida como algo para ganhar audiências, mas sim com respeito e de forma a honrar a vida que se perde. Tenho imensa pena na morte dele, perdeu-se uma vida muito jovem. Mas também tenho pena da novela que se criou em torno disto... ***

    ResponderEliminar
  7. Concordo contigo em muitos aspectos. Mas discordo relativamente à namorada. Independentemente de ser publico ou não acho que não há duvida que ele mantinha uma relação com outra pessoa, que no meio disto tudo e pelo que li, não foi tida em consideração e que não deve estar a passar por um momento facil.

    ResponderEliminar
  8. Também tenho imensa pena, não acho que o cinto ou velocidade sejam razões para apontarmos logo o dedo e juizes.De repente todos somos perfeitos. Tenho uma, profunda, pena da mãe (Angélico parece que era filho único).
    Estas mortes, jovens e repentinas, fazem me pensar na quantidade de coisas que ficam por dizer...isso dá me angústia.
    Espero as melhoras da rapariga que ainda está no hospital.

    ResponderEliminar
  9. Sim também concordo, mas continuo a ter pena dela. Acho que deve estar a passar um mau bocado. E pelo que li a mãe dele já a tinha conhecido... estamos a especular sobre o que se diz =D

    ResponderEliminar

sê feliz e diz sempre o que pensas... :)